top of page

Como dar remédio em gotas para meu gato?

Fechando a série de dicas para aplicar medicamentos em felinos, vamos às gotas!


Se o seu gato já teve dor ou febre alguma vez na vida, quando eu digo “remédio em gotas” você imediatamente tem um arrepio e pensa em “dipirona”, acertei? E começa a lembrar daquele dia em que o veterinário disse “são só umas gotinhas, é fácil de dar”... depois eu digo que são uns tratantes e você me xinga, né Miriam? Aí você chegou em casa, tentou dar as tais gotinhas e o bichano transformou-se imediatamente no Papai Noel de barba mais longa, melequenta e espumante do universo! Sim, seu bichano babou como se não houvesse amanhã, não é mesmo?


A má notícia é que, além da dipirona, outros remédios em gotas como antitóxicos, medicação para dor, febre, enjoos, vitaminas, etc, também podem fazer seu gato babar, isso sem falar no óbvio: pingar gotas na língua de um gato, convenhamos... qual humano desavisado achou que isso fosse possível? Imagine a cena: um gato qualquer do planeta de boca aberta enquanto seu humano vai pingando medicação, uma, duas, três, quatro gotinhas! Mas nem que fosse extrato de bacalhau da Noruega, meu filho!


O jeito é dar as gotinhas da mesma forma que você dá remédio líquido, certo? Sim, correto, desde que antes você pingue as gotas dentro de uma seringa (as de insulina são melhores para gotas) e então administre o líquido como já expliquei na parte II. Não me faça perder a paciência logo de cara, Miriam. Não vou repetir nadinha aqui. Quem não leu a parte II, trate de fazer isso assim que terminar de ler essa parte.


A boa notícia é que os remédios em gotas normalmente são mais concentrados, o que significa que o veterinário não receita muitas gotas. Nesse caso, você pode recorrer a um truque para facilitar a sua vida, e do seu gato. Muito bem, Miriam, hora de um snack aqui na minha frente se não, nada de truque pra remédio em gotas. Chantagista, não! Acontece que meu nível de qualidade textual só é máximo quando a barriguinha está cheia. ... ... Nada como um humano bem treinado, não? Um dia ainda vou escrever sobre isso. Mas agora que já devorei alguns snacks, vamos ao truque.



Fazendo comprimidos congelados


Sim, caríssimos! Vocês leram muito bem. É possível transformar as gotas amargas e mal cheirosas em comprimidos congelados e resolver suas angústias paralisantes. Para produzir esses comprimidos você vai precisar me mandar dez sachês e assim que eu receber a encomenda, te mando a receita por whats. Como não pode, Miriam? Você tá chata hoje, sabia? Foi só uma brincadeirinha... Mas sintam-se à vontade para me presentear! Ok, ok, vamos lá: Você vai precisar da medicação, de miolo de pão branco e manteiga. Os olhinhos da Miriam já brilharam aqui. Não é pra você comer não, mulher! É pro gato.

- Passo 1: Comece retirando um pedacinho do miolo do pão (não tão grande) e achate-o levemente. Em seguida, você vai pingar as gotinhas no pão. Cada pequeno pedaço do miolo consegue absorver até umas quatro gotas de medicação.


- Passo 2: Depois de pingar as gotinhas, faça pequenas bolinhas com a mão. Elas não devem ser maiores do que um comprimido pequeno, por isso, vale fazer mais bolinhas com menos gotinhas, para conseguir comprimidos congelados bem pequenos. Feitas as bolinhas, coloque no congelador e espere congelar.


- Passo 3: Depois de congelada, e enquanto não descongelar, a medicação perde o cheiro, e seu bigodinho vai demorar um pouquinho mais de tempo para sentir o sabor. Então, na hora de dar o comprimido congelado, use a mesma técnica que você usa para dar qualquer outro comprimido. Para garantir que ele não sinta o gosto e o remédio deslize mais facilmente pela garganta, lembre-se de passar um pouco de manteiga ou o caldinho do sachê na volta do seu maravilhoso comprimido congelado de gotas intragáveis! Se mesmo com uma explicação tão maravilhosa, com fotinhos e tudo, você ainda tem dúvidas, tudo bem, prezado humano limitado, tia Ayla também tem videozinhos para indicar:



Dicas


Imagina se eu, Ayla, a insuperável, não ia ter dicas pra te oferecer sobre esse assunto também! A primeira eu já dei ali em cima, né? Como qual, Miriam? Quanto menor o comprimido, mais fácil de o gatinho engolir sem reclamar nem espumar. Lembrou agora?


A segunda diquinha preciosa é: esqueça a ideia de dissolver as gotas na água pra poder dar um volume maior de seringa. Isso só vai te dar mais trabalho, já que seu gato vai sentir o mesmo cheiro e sabor. Eu já disse na parte I desse assunto que colocar medicação na água que seu bigodinho toma só vai fazer você ter um gato que, além de doente, vai ficar desidratado, pois felino nenhum vai tomar água batizada, com certeza! Por quê? Porque, mesmo diluído, o sabor vai estar presente. Nem preciso dizer que isso também vale para volumes menores de água como o que cabe em uma seringa, por exemplo. Então, ou dê a quantidade de gotas na seringa sem água, ou coloque seu avental de Master Chef Medicamentoso e faça comprimidos congelados.


Tive uma forte discussão aqui com a Miriam por conta da próxima dica, e já quero deixar bem claro que acho desnecessário explicar o que é incrivelmente óbvio, mas... vá lá... se isso me fizer ganhar mais sachê, tá valendo. Alguns remédios vêm em conta gotas, correto? Muito bem, como-eu-já-disse-pra-Miriam, não preciso alertá-los para jamais usar conta gotas de vidro para dar remédio diretamente na boca do bichano. Basta uma pequena mordidinha de revolta e pronto, lá vai você em desespero correndo pra clínica veterinária, gastar com ecografia, internação, mais remédio, cirurgia e mil promessas a São Chiquinho.


Terceira e última dica porque já estou exausta desse assunto e ando ouvindo um zum zum felino pelos flats sobre minha deslealdade gatínica - “onde já se viu ensinar humanos a dar remédios para gatos?!”. Lembre-se que se os seus dedos estiverem com o gosto ou o cheiro do remédio, todo o esforço para – vamos usar a palavra certa, Miriam – enganar seu amigo peludo vai por água abaixo. Então, lave sempre as mãos após manipular qualquer medicação que você preparar para dar, e mesmo quando for pegar o comprimido congelado, use uma pinça para lambuzá-lo de manteiga ou caldo de sachê. Só segure o comprimido depois de ele estar “revestido” de uma dessas substâncias, entendido?


Pra terminar, não fique ofendidinho caso seu bigodinho te ignore ou recuse seu carinho por um tempo. Sim, somos sensíveis à traição e temos todo o direito de reagir a isso, combinado? Em vez de ficar magoadinho, faça como minha ótima escrava humana, você mesmo, Miriam, e redobre-se em carinhos, afagos, vozes ridículas, promessas e... lógico! Petiscos deliciosos. Assim você vai reconquistar seu bichano num instante. E agora terminou. Tenho que reconquistar minha tirania, opa! Não! Minha liderança entre esses felinos à toa que moram e se hospedam aqui e andam planejando um golpe de estado.



Miau pra vocês!

Quem é que me chamou de traidora aqui, heim?! Seus fofoqueiros! Cadê o gato corajoso desse flat pra dizer isso na minha cara?! CADÊ?




162 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comentarios


bottom of page