top of page

Posso dar petiscos ao meu gato?

Você ainda não sabe ao certo a importância dos petiscos no dia a dia dos felinos? Então se liga no texto desta semana!


Não me sacaneia, Miriam! Sério que perguntam sobre isso? Pra uma dúvida tão simples, a resposta é óbvia: sim, sempre, ora bolas! Tá bem, tá bem! Não precisa ficar irritadinha. Vamos ao que o querido leitor do blog da Ayla (meu blog, no caso) está esperando: uma explanação profissional e educada, digna de uma gata da minha estirpe, empreendedora e inteligentíssima.


Pra início de conversa, essa história de que gatos não interagem com humanos tanto quanto os cães interagem e, por isso, não têm muito interesse em petiscos (mas que mania de nos comparar com esse babões puxa-saco heim?!), bom isso é balela, porque é só conversar com quem tem gato pra saber que a gente interage, sim. Claro que é do jeito que queremos, quando queremos. É só você aceitar isso e estaremos entendidos para a eternidade.


Ok, como eu sei que tem humano cabeça dura lendo esse texto, aí vai - assim logo de cara - uma dica preciosa de Ayla, a sumidade! Acostume seu gato a comer petisco desde o primeiro dia com você e logo, logo ele virá correndo pro seu lado sempre que você tiver uma guloseima pra oferecer. Dar petiscos para que seu bichano venha quando você o chama com um snack na mão é uma vantagem pra VOCÊ, que vai se sentir muito amado (😹Hi,hi,hi,hi! Desculpe, Miriam, foi involuntário). Já pra NÓS, as vantagens são inúmeras. Vai lendo aí:



Vantagens para seu gato




Antes de mais nada, que fique bem claro: quando eu digo petiscos estou me referindo a snack, nuggets, patês e sachês. Corre lá, Miriam! Pega um pra mim que já tô salivando aqui em cima do teclado. Dito isso, vamos dividir nossos petisquinhos amados em dois tipos: secos e molhados. (Não, querido, não se trata daquele grupo que fazia o gato preto cruzar a estrada e passar por debaixo da escada...)


Petiscos secos - Você vai encontrar snacks e nuggets de tudo quanto é tipo de marca. Alguns dizem ser bons para ajudar a eliminar bolas de pelo, outros para limpar os dentes. Existem os redondinhos, os compridos, em formato de filé e, olha isso Miriam, de mini lagosta! Anota aí, Miriam, preciso de um desses com urgência. Formatos e qualidades à parte, se você quer saber a verdade mesmo, o melhor petisco é o que for mais cheiroso. Nós gatos não temos muitas papilas gustativas (olha eu de novo usando termos técnicos que ressaltam minha suprema sabedoria), que são a parte anatômica na língua responsável por sentir o gosto das coisas. Então, a gente avalia a qualidade da iguaria pelo cheiro. Aliás, anota aí outro item em que somos infinitamente superiores a vocês, humanóides: nosso olfato é catorze vezes mais apurado que o de vocês. Catorze!! Por isso, quanto mais forte o cheiro de carne, peixe ou frutos do mar, mais nós vamos nos interessar.


A vantagem dos petiscos secos, além das diferentes texturas e crocâncias que nos estimulam, é que você pode usar como enriquecimento ambiental pra fazer seu bigodinho ser mais ativo. Por exemplo, coloque petiscos nos aéreos pra que ele seja incentivado a se movimentar mais. Ou use algum dos vários brinquedos com compartimentos para petiscos secos que fazem seu bichano ter com o que se ocupar enquanto você vai dar seus dispensáveis rolês diários. Você pode até dar uma de artesão e fazer você mesmo esses brinquedos. Tá sem ideais, né? Eu já imaginava, por isso vou te mostrar como fazer um brinquedo custo zero usando meio neurônio. Mas seja criativo! (Ou preguiçoso e procure mais opções na internet).



Fonte: Almanaque SOS (https://www.almanaquesos.com/como-fazer-um-brinquedo-para-o-seu-gato-usando-rolo-de-papel-higienico/)


Se você está aí pensando que o petisco seco pode ter muita química, muito sal, muito sei lá o que, bora mostrar o Master Chef que existe nesse corpinho! O seu corpinho, claro! Como não faço nada pela metade, aí vai um link pra você aprender a fazer petisquinhos caseiros naturais, super saudáveis e nada veganos!




Só pra constar, quero deixar bem claro que acho um absurdo ter que justificar nossa necessidade de petisco diário, ok? É direito nosso adquirido há eras! Eu não devia ne


m estar perdendo meu tempo com esse tema. Claro que fiquei de mau humor, Miriam! Você me trouxe uma miséria de sachê!! Acabou antes de eu ditar o terceiro parágrafo.



Petiscos úmidos - Bom, agora que a Miriam fez um serviço descente e me serviu uma quantidade aceitável, vamos continuar. Os petiscos úmidos são os sachês, patês e latinhas que você encontra pra vender de mil marcas e sabores diferentes por aí. Atenção para o que vou dizer agora! Embora não sejam substitutos da ração, esses petiscos, diferente dos snacks e nuggets, são obrigatórios! Entendeu o que escrevi? Lê de novo. OBRIGATÓRIOS. E eu não estou forçando nenhuma barra, não. Segue o texto que vou explicar por quê.


Acontece que seu bigodinho não caça, né? Ok, graças a Deus pra você que não precisa conviver com carcaças de passarinhos e camundongos. Porém, como os felinos nutela de hoje em dia não abatem mais outros seres vivos para se alimentar e só comem ração seca - já disse isso aqui no texto sobre hidratação, Miriam. Sério que tenho que repetir? - então… repetindo! Como gatos domésticos praticamente só comem ração seca e tem tendência natural a ingerir muito pouca água, os patês e sachês são essenciais para aumentar nosso consumo de água e proteger o nosso rim, já que eles são feitos - os patês, Miriam, não os rins - de 85% de água. Então, não discuta, ofereça, NO MÍNIMO, um sachê por dia pro seu bichano. Mas não se esqueça que ele pode gostar de um e odiar outro (o nome disso não é “chatice” é “paladar seletivo”) então, insista até descobrir qual o petisco que ele prefere.


Reforço positivo


Quem disse que só cães merecem agrados comestíveis quando se comportam de acordo com as vontades humanas? Até onde me consta, gatos merecem tanto quanto. Merecem até mais, já que, verdade seja dita, né Miriam, na enormemíssima maioria das vezes, a gente só faz mesmo o que dá na telha. Mas se for pra receber um petisco, podemos até pensar no caso. Querem um exemplo? Posso apresentar meu amigo Hashi. Quando ficou doente, ganhava nuggets sempre que tomava o remédio direitinho. Não só ele começou a engolir aquelas pílulas horrendas sem reclamar como foi além! Aprendeu que os nuggets ficam guardados no armário em frente à geladeira e, agora, sempre que seu escravo humano vai em direção à cozinha, Hashi corre miando desesperado até ganhar um nugget.

Um não, ele quer vários! Mas aí já é vício. Vai acabar no PA (petiscólotras anônimos).


A Miriam tá aqui do lado tendo uns espasmos. O que é, mulher? Ah! Achei que tava passando mal, mas tá me fazendo sinal de que já me estendi demais. O que vou fazer se me empolgo com minha própria sabedoria? Pra terminar, vou conceder uma dica mega, super preciosa! Preparado pra ficar um tantinho mais sábio? Pois muito bem, caro leitor, se tudo isso que expliquei acima não foi suficiente pra te convencer, isso vai ser: saiba que estar acostumado a petiscos é um excelente indicador da saúde do seu gatinho. Isso porque a primeira coisa que acontece quando um gato não se sente bem é perder o apetite. Então, se o seu bigodinho recusar o petisco que ele mais gosta, pode desconfiar que algo na saúde dele não está muito bem. Hora de fazer um check-up!


E depois dessa magistral aula sobre a importância de snacks, nuggets, patês e sachês, vou dar um rolê nos flats porque está na hora dos hospedes ganharem guloseimas.


Miau pra vocês!

Levanta Miriam! Quem você acha que vai distribuir os petiscos?


243 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page